Páginas

Dica de quadrinhos - As Aventuras do Califa Harrum Ahal Mofadah (René Goscinny)

Fonte de imagem: Guia dos quadrinhos
Olá, pessoas!
Bom, hoje vim trazer novidades... Tcharam!
Hoje venho trazer uma dica de quadrinhos! Há muito tempo eu queria falar dos quadrinhos do Goscinny, mas ainda não tinha tido coragem porque... Cara, não é querendo ser meio depoimento de Orkut, mas... O que falar de um cara com um humor fantástico e inocente? Um humor inteligente, sem apelação... Eu sou apaixonada por esse cara!
Mas eu não vim falar de Goscinny, vim falar de As Aventuras do Califa Harrum Ahal Mofadah!
Quem quiser saber mais de Goscinny, recomendo a leitura do post do Francês dicas* (Francês Dicas (Petits Conseils en Français): René Goscinny).
As Aventuras do Califa Harrum Ahal Mofadah é um quadrinho pouco conhecido no Brasil. Os que eu tenho aqui em casa são de 1986 (iznogud1986 foi minha senha por muito tempo, pra vocês verem como eu sou fã... Os quadrinhos não são desse ano, mas a edição sim, que fique claro). 
Um amigo do meu pai deu pra ele uma caixa cheia de livros quando ele se mudou pra uma casa menor (acho que foi em 2005 ou 2006), e dentro dessa caixa tinha, entre outras coisas, uma coleção de quadrinhos do Goscinny (Vários exemplares de Lucky Luke (O nome do meu cachorro é Lucky... Um dia eu falo mais desse quadrinho que também é maravilhoso) e (quase) TODA A COLEÇÃO DO AS AVENTURAS DO CALIFA HARRUM AHAL MOFADAH). Só que eu só mexi nessa caixa pra ler em 2007! 
Fonte de imagem: Francês Dicas (Petits Conseils en Français)
Enfim, o quadrinho leva o nome do Califa no título, mas quem rouba a cena é Iznogud, com seus plano "infalíveis" pra derrubar o Califa Harrum Ahal Mofadah. 
Alguns exemplos... 
Iznogud descobre uma estrada que não tem como voltar, tu pega ela e sempre volta pro mesmo lugar. Daí, ele faz todo um plano pra levar o Califa pra lá, pra ficar eternamente preso e não voltar mais, ele só esquece que ele também pode se perder por lá... Outro plano é congelar o Califa, contratando uma mulher que congela a pessoa quando essa a vê sem o véu, mas o Califa sempre encontra uma fonte de calor... Ele elabora muitos planos malucos, contrata uma cara que transforma as pessoas em pedra quando toca... Enfim, quem se ferra no fim é só ele! (Uma coisa meio Mônica e Cebolinha, é verdade... Talvez seja inspirado, né?).
Tinha outra coisa que eu ia falar, mas esqueci...
Ah, lembrei!
O número mais fofinho é o último "Uma cenoura pra Iznogud". O Califa percebe que Iznogud não é muito bonzinho... Um sábio lhe diz que todo mundo que come cenoura tem o coração bom e o califa então sai pelo mundo procurando cenouras. Mas ele nunca viu uma na vida. É nesse quadrinho que a gente percebe o carinho e preocupação do califa com o cara que só quer ver ele pelas costas. É triste, fofinho e muito engraçado. Por isso é meu favorito!
A grande graça no As aventuras do Califa Harrum Ahal Mofadah são os constantes trocadilhos (isso foi o que mais me conquistou). Goscinny desenvolve a história toda em cima desses trocadilhos, deixando piadas ambíguas... O cara é um gênio!
Tipo, olha os nomes dos personagens: 
  • Califa Harrum Ahal Mofadah (Arruma a almofada - O califa que vive dormindo e odeia ser incomodado, na versão em Inglês a tradução vai pra imbecil). 
  • Iznogud (Is no good [ele não presta]- O vilão que tenta todo tempo se tornar Califa no lugar do Califa [O bordão dele é "je veux devenir calife à la place du calife" = "Eu quero ser califa no lugar do califa"). 
  • Omar Vadinho (O malvadinho - Fiel comparsa de Iznogud... Mais esperto que o patrão, tenta sempre alertá-lo de que seus planos são falhos).
Gostei muito da sinopse da história do Guia dos Quadrinhos, achei ela bem completa (lê-se: vocês vão entender melhor do que eu contando), apesar de focar apenas no Califa...
Haroun El Poussah é califa de Bagdá (rei da Bagdá de antigamente, capital da Pérsia). O nome Harun foi tomado de um califa real, Haroun ar-Rachid, e o sobrenome Poussah ("inchado" em francês) designa um homem gordo.
Criado em 1962 pelos franceses René Goscinny (argumento) e Jean Tabary (desenho) para ser o personagem principal das "Aventuras do Califa", acabou superado por seu primeiro ministro, o malvado grão-vizir Iznogud, que ambiciona seu cargo. Sendo muito bondoso (seu lema é "EU SOU BOM") e de boa fé, o califa não percebe os atentados de Iznogud. Embora não se defenda, sempre se safa e no final "o feitiço vira contra o feiticeiro".
No Brasil, seu nome é Haren Al Mofaddah (na tradução de 1966 da Rio Gráfica e Editora) ou Harrum ahal Mofadah (na tradução de 1967 da Record); ou Harun Al Mofad.
Se eu não estiver enganada, foram 8 números publicados no Brasil.
Eu tiraria foto das capas, se as minhas revistas estivessem por perto... Porque a capa da número 1, não está disponível, mas eu tenho... Num sei onde tá... (Na verdade eu sei, mas num quero mexer lá... Rinite). Vocês podem ver as 6 capas disponíveis na internet no site Guia dos quadrinhos.

Os títulos são:


Antes de terminar, queria contar que a série ganhou uma versão animada... (que eu nunca consegui assistir, pois não achei em português).


Enfim, deixei alguns links pra vocês baixarem, pois eu não encontrei o link pra comprar... Acho que não tá mais disponível!
Desculpa a forma meio amadora de falar do quadrinho, se algum especialista caiu aqui...
Espero que tenham gostado!

Esse post fez parte da Blogagem Coletiva dos Blogueiros Amigos! Participe você também!
______________________________
* O Francês Dicas é um blog que fala sobre tudo que envolve a cultura francesa (música, cinema, quadrinhos, culinária...) e dá dicas pra quem está aprendendo a língua!
** Números disponíveis para download no Onomatopéia Digital! Um blog muito bom pra baixar quadrinhos!
♫ Ouvindo Entre a pressa e a poesia - O Trevisan


Gostou desta postagem? Então clique no botão ao lado para curtr e Twittar!! Aproveite para nos adicionar no Facebook, seguir no Twitter.

Sobre a louca que escreveu:
Soraya Carvalho Meu nome é Soraya, mas me chamam de Sol! Tenho 31 anos, estou tentando me reapaixonar por tudo o que escolho... Sou formada em Biblioteconomia, recém-convertida católica (ainda que batizada desde 1995), estou aprendendo a lidar com a ansiedade e tenho pensado em tentar falar sobre a luta e o aprendizado diário... Viver requer paciência, e eu não tenho.